X
(44) 3224-3992

Materbaby Reprodução Humana

Banner Desktop: Infertilidade masculina: entenda como ela funciona e quais os mitos e verdades sobre ela Banner Mobile: Infertilidade masculina: entenda como ela funciona e quais os mitos e verdades sobre ela

Blog

Infertilidade masculina: entenda como ela funciona e quais os mitos e verdades sobre ela

A infertilidade masculina, muitas vezes envolta em tabus e mitos, é um desafio enfrentado por cerca de 30% dos casais que buscam a realização do sonho de serem pais, segundo dados da Sociedade Americana de Reprodução Assistida (ASRM). 

Este cenário é, por muitas vezes, marcado pela desinformação e preconceitos ,contribuindo para a falta de compreensão e aceitação, e um estigma que impede que casais busquem ajuda adequada, perpetuando mitos infundados. Por isso, é preciso de uma abordagem mais aprofundada para desvendar suas complexidades.

Neste contexto, é crucial explorar cada faceta desse desafio de maneira científica e informativa, proporcionando clareza e promovendo a conscientização sobre a verdadeira natureza da infertilidade masculina. Por isso, no conteúdo de hoje, vamos entender mais sobre a fertilidade masculina e desvendar alguns mitos e verdades sobre ela. 

Entendendo a fertilidade masculina 


A capacidade reprodutiva do homem inicia-se por volta dos 12 anos de idade, durante a puberdade, quando começa a produção de espermatozoides. Ao contrário das mulheres, que ovulam uma vez por mês e têm uma quantidade limitada de ovos, os homens podem produzir esperma diariamente. Portanto, não há períodos mais ou menos férteis, uma vez que a fertilidade masculina não segue um ciclo como a fertilidade feminina.

A avaliação da fertilidade masculina abrange diversos aspectos, utilizando ferramentas como histórico clínico, exame físico, espermograma e, em situações específicas, exames hormonais e genéticos. Essa análise considera elementos como antecedentes de infecção, traumas, cirurgias pregressas, impotência, além de hábitos como alcoolismo e tabagismo. 

É muito importante que essa avaliação seja feita, porque o componente masculino, sozinho, contribui para 30% a 40% dos casos de infertilidade, e quando associado ao fator feminino, esse percentual aumenta para 50%, sendo responsável por metade dos casos de casais com dificuldades para conceber.

Quando indicado, o processo se estende a outras etapas, incluindo a análise hormonal para avaliar a atividade testicular (por meio de FSH - hormônio folículo estimulante, LH - hormônio luteotrófico, prolactina, androgênios, entre outros, conforme necessário). Ainda existe a investigação da anatomia testicular, que envolve palpação por exame clínico e ultrassonografia, a fragmentação do DNA dos espermatozoides, estudo genético e outros exames específicos para cada caso que também podem ser realizados.

Mitos e verdades sobre a infertilidade masculina